Bem vindos!

Bem vindos!

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Vamos falar de paz

Vamos falar de paz

PAZ... Palavra tão pequena... Significado tão grande...
Representa o bem estar entre as pessoas. E alguém pode desejar coisa melhor do que estar em paz com seus semelhantes?
Sem dúvida alguma, é o desejo maior de qualquer pessoa de bons sentimentos. Mesmo que os sentimentos não sejam tão bons assim, mas haja um resquício de bondade... sempre irá preferir a paz.
Recebi de minha amiga Fátima Irene Pinto, uma mensagem muito linda, que fala justamente dessa paz tão desejada, e tão vilipendiada. Penso que se essa mensagem for devidamente assimilada por todos, poderemos vislumbrar alguma possibilidade de encontrar essa paz. Vejam:
"A paz se exterioriza nos olhos de quem aprendeu a arte de ser sincero consigo mesmo.
Paz é, acima de tudo, harmonia consigo mesmo; em seguida com os outros.
É harmonia com Deus e com a Natureza.
Paradoxo é almejar a paz e viver em discordância íntima.
A verdade é que, por mais que você se esforce para ser justo e consciente, sempre haverá alguém que interpretará mal seus atos e atitudes.
Ninguém consegue agradar a todos.
Confie em si mesmo, confie em Deus.
Apenas Ele maneja os fios invisíveis e infinitos de toda existência humana.
Você encontrará a paz conscientizando-se de que cada um é uma ferramenta exclusiva e específica da Natureza, circunstancialmente trabalhando na Terra sob o Comando Divino."
(Lourdes Catherine/Soc. Espírita Boa Nova)
Nesta época do ano, em que tanto se fala em Paz e Amor, creio ser uma excelente ocasião para uma reflexão profunda, com o intuito de descobrir onde estamos falhando, pois a Paz não vem sendo encontrada.
Não falo apenas da Paz Mundial, que depende de muitos fatores para ser conseguida e, face às circunstâncias, e à própria natureza humana, é totalmente utópico falar-se nisso.
Falo em nossa paz interior. Essa depende apenas de nós mesmos.
Por que ficar remoendo mágoas contra outras pessoas? Se alguém nos ofendeu, traiu ou magoou, cabe apenas duas atitudes. Ou procuramos esquecer do problema (mesmo que isso represente nos esquecermos da pessoa), ou relevamos e perdoamos. Não resolve procurar alguma vingança, alguma represália, um meio de prejudicar essa pessoa. Isso não irá amenizar nossa dor e nem solucionar o problema. Pelo contrário, irá acirrar mais ainda os ânimos.
Procurando esquecer o que houve, só iremos ganhar em tranquilidade e paz de espirito. Pelo menos nossa alma não ficará envenenada pelo ódio, pelo rancor.
Nem sempre é possível perdoar quem nos ofendeu, por ter sido algo muito sério... esqueçamo-nos então, tanto do fato, como da pessoa.
Essa é uma das maneiras para se encontrar a paz interior, tão necessária para que possamos sentir alegria em viver.
Podem ter certeza de que a melhor coisa que podemos sentir é a sensação de estarmos em paz conosco mesmo, e isso só se consegue, sem ter sentimentos de ódio ou rancor no coração.

Marcial Armando Salaverry





















quinta-feira, 19 de março de 2015

Denuncie! Não a violência doméstica

Violência doméstica não tem classe social. A violência pode acontecer bem perto de nós. E então, o que fazer? Pode até parecer clichê, mas é a única resposta: DENUNCIE!! Não deixe que VOCÊ seja vítima desse crime.

AFASTE-SE DE PESSOAS QUE LHE FAZEM SENTIR-SE MAL


De fato estamos cercados de pessoas tóxicas.
Pessoas que são egocêntricas, manipuladoras, interesseiras, arrogantes, rancorosas, amarguradas, mal amadas, invejosas ou fracassadas, que não conseguem ver o sucesso ou a felicidade alheia. Enfim, pessoas sombrias que minam os relacionamentos e amizades com intrigas, críticas excessivas, falta de consideração e respeito pelo outro e abusos verbais ou físicos. Pessoas muito perigosas de se conviver.
Essas pessoas tóxicas acabam, de alguma forma, nos envenenando. Direta ou indiretamente, acabamos agindo por influência delas, seja com atitudes ou omissões. Muitas vezes acabamos agindo por impulso para evitar essas pessoas, ou, na pior das hipóteses, acabamos agindo da mesma forma. São pessoas nocivas, intoxicando nosso comportamento e nos levando a agir e a tomar decisões que, em outras circunstâncias poderiam ser completamente diferentes.
São tóxicas, porque conseguem despertar o que há de pior dentro de nós, não apenas no sentido de maldade ou crueldade, mas no sentido de perdermos a identidade, a autonomia, a energia, a iniciativa e o poder de decisão. Ficamos estagnados, hipnotizados, paralisados. São verdadeiros vampiros, sem Luz própria, que consomem nossa energia vital, que exploram e manipulam pessoas de acordo com os seus interesses e vivem às custas da energia dos outros para se sustentarem.
Tóxicas são aquelas pessoas que sabem tudo a respeito da vida das outras pessoas, mas não conseguem administrar a própria vida. Sabem dar conselhos como ninguém tem um discurso lindíssimo para o mundo lá fora, mas que, na vida pessoal, nos bastidores, na vida íntima, são pessoas frustradas, isoladas, verdadeiras ilhas no meio da sociedade, que não tomam para si os próprios conselhos.
Sabem olhar de fora, apontar defeitos, problemas, erros. Mas não sabem participar, não conseguem enxergar os próprios problemas ou defeitos. Apontam os erros alheios para, de certa forma, esconder os seus próprios. São os “sabe-tudo” e só a sua forma de pensar é que está certa. Não suportam ser contrariados e confrontados. Quando o são, perseguem a pessoa até “livrarem-se” dela ou então se vingam. Seu ego é superlativo para compensar a sua extrema falta de Amor-Próprio. Usam as pessoas conforme seus interesses e, quando estas discordam de suas ideias, são descartadas e eliminadas, sem a menor consideração.
A toxicidade reside exatamente no fato de não nos darmos conta de que estamos sendo manipulados ou influenciados. Ficamos hipnotizados, fascinados, imersos numa imensa ilusão, até o dia em que despertamos e tomamos consciência de que estamos muito mal, morrendo por dentro, e que algo urgente necessita ser feito. Um corte para a nossa libertação, para resgatar a nossa sanidade, saúde, alegria de viver.
Em nossa busca pela felicidade, por tudo aquilo que nos traz bem-estar e alegria, o grande segredo é não se deixar influenciar, se afastar e evitar a convivência com esses tipos. Isso não significa alimentar sentimentos negativos dentro de si com relação a eles, mas de preferência visualizá-los felizes e agradecidos em sua vida, emanando energias e vibrações positivas.
Reflita, você convive intimamente com alguma pessoa tóxica, seja na família, no trabalho, ou nas “amizades”?
Tenha cuidado, afaste-se, fique longe o quanto antes dessas pessoas.
Cuide-se, preserve-se, seja você mesmo, seja pleno e feliz.
E acima de tudo sempre perdoe essas pessoas, muitas vezes, elas não tem consciência de seus próprios malefícios.


Texto retirado do site:  http://universonatural.wordpress.com/2013/05/24/voce-convive-intimamente-com-alguma-pessoa-toxica/


Leia também o tópico: Pessoas insuportáveis e pessoas insuperáveis

Este tópico é bem legal para a gente aprender a lidar com pessoas que nos enfraquece:  Aceitação

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Noite Feliz - Quando a consciência desperta na Luz




(Projeções da Consciência e Amparo Espiritual)


“Ao longo da vida, por muitas vezes, quando você perdeu a confiança espiritual, mãos invisíveis sustentaram o seu coração.
Em muitas noites tristes, sem que você soubesse, presenças invisíveis o levaram espiritualmente para outros planos.
Lá, você foi banhado na Luz!
E, depois, foi trazido de volta para o corpo físico e acordou melhor, sem saber como ou por quê.
Outras vezes, em momentos difíceis, você foi amparado secretamente, para resistir àquela prova e superá-la, e você não percebeu.
Muitas vezes você perdeu a fé, por um motivo ou outro e, mesmo assim, mãos invisíveis lhe apoiaram.
E, nas vezes em que você se renovou e quis voltar aos caminhos da Luz, o plano espiritual não perguntou dos seus motivos. Apenas lhe aceitou de volta, incondicionalmente, sem nada perguntar.
Nesses dias de natal, há uma canção muita conhecida, chamada de “Noite Feliz”, em que se canta a vinda de Jesus entre os homens da Terra.
Mas, as pessoas cantam isso somente por condicionamento, sem alma nem coração, sem nenhuma compreensão.
Na verdade, noite feliz também é aquela em que você foi levado fora do corpo (1) para os níveis espirituais enquanto estava triste... E, voltou melhor!
Isso aconteceu muitas vezes, mas você não soube e também jamais agradeceu.
Há também aquelas noites felizes, em que, por estarmos juntos, foi possível
formar uma égregora (2) que irradiou luz e que ajudou a inúmeros seres em muitos lugares.
É isso que muitos iniciados hindus chamaram de Paraspatva (3), a proteção espiritual invisível. E que também é chamada de Saranam (4), ou seja, tomar refúgio no Inefável, invisível aos olhos da carne, mas visível à inteligência e ao coração.
Noite Feliz! Seja por Jesus, por Krishna, por Buda, por Deus... Noite Feliz!
Noite Feliz! Pelos amparadores, desde aqueles avançados, cósmicos, até mesmo aqueles que trabalham nos bastidores do Invisível, nos umbrais espirituais, desmanchando as misérias humanas feitas em nome da magia trevosa...
Noite feliz!” 

Wagner Borges 

domingo, 7 de dezembro de 2014

Namastê




 Amar é Ser.
Não Ser mais ou menos que alguém, mas Ser Amor... e acolher...
Quando o Amor está presente compreendemos profunda e definitivamente o quão maravilhosa é a vida e que nada está errado, faltando ou perdido.. ninguém é miserável, ninguém é inferior, ou superior...tudo é a Vida Vivendo, a Existência sendo...o Universo se maravilhando consigo mesmo...tudo pertence e nós somos esta Verdade lúcida, esta Verdade Consciente...

Nenhuma miserabilidade sobrevive quando o Amor consciente está vivo em nossos corações...
Se ainda estivermos presos à insensatez da miserabilidade, compreendamos que o amor ainda não está plenamente vivo em nós. Ainda estamos nos deixando levar pelos antigos e decadentes condicionamentos mentais...

É por isso que faço a cada um de vocês um convite: A partir deste momento desacredite de tudo o que te faz inferior ou superior. Viva a beleza de ser comum, fraterno, companheiro, humano, igual na sua originalidade... aí está a cura de toda e qualquer distorção que a mente teima em trazer...

Amar o presente é ser vivo e acolher, mesmo sem compreender, aquilo que a vida nos trás. Ter consigo a certeza de que a sabedoria divina é absoluta, é plenamente consciente, e plenamente sábia e que o Amor é a sua mais sublime manifestação...

Namastê 
Amidha Prem

Sinta mais, pense menos - Osho



"Quando Jesus traz a boa nova do reino de Deus, ninguém crê nele. Quando Buda fala do infinito vazio interior, ninguém crê nele. Nós não podemos crer! Como podemos crer a menos que venhamos a saber? Pelo menos um vislumbre é necessário.
Tudo o que é belo, é como as gaivotas. Lembre-se disto: nada pode ser feito.(...) A vida não tem portas dos fundos. Você não pode roubar a vida. Não pode ser um ladrão. A vida dá, e dá infinitamente, e dá incondicionalmente. Por favor, esteja num estado de entrega. Deixe as gaivotas descerem.(...) Não é preciso esforço. O esforço é a porta dos fundos. É preciso sim, a ausência de esforço;

É preciso ter paciência. É preciso ter poesia.(...)
Deixe a vida acontecer, não tente forçá-la; Através do fazer, só coisas sem valor são alcançadas; através do não fazer, pode-se alcançar tudo o que é belo, tudo o que é sagrado, tudo o que é divino."

Osho, em O homem que amava as gaivotas.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

O cachorro segundo o Espiritismo


Como podemos contribuir com a evolução dos cachorros?

Animais e o Espiritismo: Independentemente de filosofia, quem ama verdadeiramente um amigo (humano ou não) já auxilia sua evolução espiritual. Podemos lembrar de vários casos de cães que foram maltratados uma vida inteira por seus donos, o que os levaram a eliminação (eutanásia), por serem considerados perigosos demais para o ser humano. Estes seres tiveram, de alguma maneira, sua evolução marcada pela dor e sofrimento, o que pode provocar um atraso na retomada de sua evolução espiritual na mesma encarnação ou em outras. Emmanuel (psicografado pelo querido Chico Xavier) escreveu: “Nós, seres humanos, estamos na natureza para auxiliar o progresso dos animais. Na mesma proporção que os anjos estão para nos auxiliar. Portanto, quem maltrata um animal é alguém que não aprendeu a amar.” O fator principal para a evolução de qualquer ser é o amor.


 A ALMA DOS ANIMAIS - REENCARNAÇÃO
                       Conheça os princípios da reencarnação dos bichinhos.
Quem tem um animal de estimação sabe a importância que ele adquire no convívio  familiar. Desde os mais tradicionais, como gatos e cachorros, até os mais exóticos ou selvagens, todos têm seu espaço junto ao criador.
Segundo a doutrina espírita, a reencarnação é uma bênção de Deus aos seus filhos, ou seja, todos os seres vivos sem distinção, para que evoluam e atinjam a perfeição. Sendo assim, o que acontece com os animais após o desencarne?
A DIVISÃO DA NATUREZA
Em sua publicação "O Livros dos Espíritos", Allan Kardec dedica um capítulo inteiro sobre a divisão da natureza em reinos: mineral, vegetal e animal. De acordo com o autor, a divisão, sob o ponto de vista moral,  não deve ser estabelecida em três níveis, mas sim em quatro. Os grupos estão divididos em: minerais, compostos de matéria sem vida; plantas, que são dotadas de vitalidade e animais, possuidores de força vital e inteligência instintiva limitada, que os torna conscientes de sua existência e de sua individualidade. O homem seria responsável pelo quarto grau e por reunir características dos animais, das plantas e dominar as outras classes graças à sua inteligência que, segundo Kardec, "lhe dá a consciência do seu futuro, a perfeição das coisas  extramateriais e o conhecimento de Deus".
A PARTICULARIDADE DOS ANIMAIS
De acordo com a definição dos grupos acima, proposta pela doutrina Kardecista, verifica-se que os animais, além de agirem por seus instintos, também demonstran-se livres  em determinadas ações. A liberdade de ação que possuem, ainda que limitada, evidencia a presença de um espírito, que sobrevive à  morte do corpo e, como todo ser vivo, reencarna para atingir um novo estágio de evolução. No entanto, a alma animal não pode ser comparada à humana, pois apesar de preservar sua individualidade após a morte, ela não conserva a consciência. Essa é a principal distinção entre os seres humanos e os bichos.
Depois de desligar-se do corpo, a alma animal, tão logo que desencarna é classificada por outros espíritos para reencarnar quase que imediatamente. Ela não possui livre-arbítrio para escolher em qual espécie quer reencarnar e também segue uma lei progressiva de evolução, porém, involuntária e definida por forças exteriores. Vibrações do amor e carinho são sentidas pelo animal tanto em vida quanto no momento da morte. Por isso, é muito importante cuidar bem do seu bichinho de estimação.
.
Revista Vidas Passadas.
Obs.: Desconhecemos o autor da foto acima, por gentileza, qualquer inconveniente, avise-me!

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

SMPM CONVIDA: Exposição "MANIFESTO POÉTICO FEMINISTA - 16 DIAS DE ATIVISMO PELO FIM DA VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER"

GABINETE ABERTO: COMBATE À VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES



(conselhogestor-vmvg.blogspot.com.br/2014/11/smpm-convida-gabineteaberto-combate)


(conselhogestor-vmvg.blogspot.com.br)

sábado, 15 de novembro de 2014

Em seu benefício


Em seu benefício

Não se agaste com o ignorante; 

certamente, não dispõe ele das oportunidades que iluminaram seu caminho.


Evite aborrecimentos com as pessoas
fanatizadas; permanecem no cárcere do 
exclusivismo e merecem compaixão como qualquer prisioneiro.

Não se perturbe com o malcriado; O irmão intratável tem, na maioria das vezes, o fígado estragado e os nervos doentes.

Ampare o companheiro inseguro; talvez não possua o necessário, quando você detém excessos.

Não se zangue com o ingrato; 

provavelmente, é desorientado ou inexperiente.

Ajude ao que erra; seus pés pisam o mesmo chão, e, se você tem possibilidades de corrigir, não tem o direito de censurar.

Desculpe o desertor; ele é fraco e mais tarde voltará à lição.

Auxilie o doente; agradeça ao Divino Poder o equilíbrio que você está conservando.

Esqueça o acusador; ele não conhece o seu caso desde o princípio.

Perdoe ao mau; a vida se encarregará dele.

Autor: André Luiz
Psicografia de Chico Xavier. Livro: Agenda Cristã

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Amar é libertar-se do medo – Gerald Jampolsky



Você algum dia já se deu a oportunidade de passar apenas um dia concentrando-se em aceitar completamente todas as pessoas e não fazer julgamentos? A maioria de nós acha essa tarefa muito difícil, pois é raro passarmos alguns momentos – quanto mais um dia inteiro – sem fazer um julgamento. Quando pensamos no assunto, muitos de nós ficamos consternados com a frequência com que condenamos os outros e a nós mesmos. Às vezes sentimos que é quase impossível parar de julgar. No entanto, tudo o que realmente precisamos é a disposição de começar a praticar não fazer julgamentos, a não esperar uma perfeição absoluta. O abandono de velhos hábitos vem com a prática repetida e constante.
A maioria de nós manifesta um estado que poderia ser chamado de “visão de túnel”. Não vemos a pessoa como uma totalidade. Vemos apenas um fragmento da pessoa, e nossa mente muitas vezes interpreta o que vemos como defeito. A maioria de nós foi criada num ambiente doméstico e escolar que enfatizava a crítica construtiva, que, na verdade, em geral, é um disfarce para apontar defeitos.
Nessas ocasiões em que nos surpreendemos repetindo esse mesmo erro com nosso cônjuge, nossos filhos, nossos amigos ou mesmo com alguém que só vemos de vez em quando, talvez fosse bom acalmar a mente, observar nossos pensamentos e tomar consciência de que apontar defeitos é uma atitude que depende totalmente de nossas experiências passadas.
Avaliar e ser avaliado pelos outros – um hábito do passado – resulta, no pior dos casos, em medo e, no melhor, em amor condicional. Para sentir Amor incondicional, precisamos livrar-nos do nosso severo juiz interior. Em vez de um juiz severo, precisamos ouvir a nossa poderosa voz interior dizendo a nós e aos outros: “Amo e aceito você completamente tal como é”.
À medida que reforçamos a decisão de só ver o Amor, fica mais fácil nos concentrar nos pontos fortes dos outros e ignorar suas fraquezas. É importante aplicar essa lição a todos e também a nós.
Gerald Jampolsky – em “Amar é libertar-se do medo”

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Paz

Quando se fala em de paz mundial, nos vem de imediato a idéia da necessidade do término de conflitos entre as nações, entre raças e classes sociais, do fim da violência social e familiar, o fim da miséria, da fome, das injustiças e de todo o tipo de sofrimento humano.
            A solução para tudo isto, em geral, é colocada nas mãos dos governantes, das instituições ou dos líderes, apesar de não acreditarmos mais que alguém possa resolver esta situação.
            É interessante constatar onde chegamos, visto que, por um lado nos tornamos conhecedores profundos do mundo material, da tecnologia e da ciência, e por outro, não conseguimos solucionar a maioria dos problemas atuais, que são de nossa própria criação.
A nossa criação é fruto de uma ilusão, de uma idéia errada que acalentamos. Acreditamos piamente que somos separados, indivíduos solitários com nome, CIC, RG, e como tal, sentimos, pensamos e agimos isoladamente, isto é, nenhuma destas atitudes interessa a ninguém além de nós.
E assim, na maior desatenção, pensamos que seremos felizes sózinhos, que triunfaremos sózinhos, que sentimos medo sózinhos, e que sózinhos podemos atacar e sermos atacados, sendo que tudo isto jamais afeta a alguém a não ser nós mesmos. Não percebemos que muitos fazem o mesmo, afinal isto é tão comum e que, com esta atitude, estamos criando uma realidade triste e solitária para todos nós.
Em outras palavras, somos os responsáveis diretos pelo mundo à nossa frente, pois o que fazemos, sentimos e pensamos, constitui tudo o que podemos ver. Quando nos tornamos conscientes disto tudo muda, pois vemos que somos importantes e que a nossa felicidade faz uma enorme diferença em todo o planeta, então começamos a deixar a solidão de lado.
Este passo é perfeitamente possível, mas para acontecer é preciso focarmos a atenção no que ocorre no mundo interior e nossa consciência se amplia junto com a nossa compreensão, e esta é fruto de uma atitude interna de silêncio, de comunhão e de amor. Então, a consciência ampliada diminui distâncias, aterra abismos e acaba com o sentimento de separação.
É imperativo buscarmos a unidade com a criação, com a essência de tudo o que existe, pois disto surge a visão real do Universo com suas leis eternas, as quais não foram criadas por nenhum ser humano. Nesta permanência do que é essencial encontramos nosso próprio lugar, nossa união com tudo o que está criado e a Paz eterna.

( A.D) 

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Para refletir

Mergulhe bem fundo no teu coração, arranque as mágoas e destrua as correntes que aprisionam a tua emoção...
Exercite o perdão, pois assim terás a paz e seguirás livre na tua caminhada...
Elimine os bloqueios espirituais e exercite a tua fé, que foi colocada um dia em teu ser para você dar o salto para a vitória e mudar a tua história.
Os limites só existem para quem desconhece ou esquece do potencial que tem dentro de si... Elimine os preconceitos para que no teu relacionamento haja entrega mútua, cumplicidade, diálogo aberto sincero.
Assim você construirá uma aliança que o tempo não poderá destruir, pois sempre haverá a bonança...
Deixe fluir a ternura que há dentro de você e cuida da tua vida sentimental como se cuida de um jardim...
Certamente para sempre terás alguém a teu lado que te darás grandes emoções...
Faça como um passarinho que teve a porta gaiola aberta e voa ao encontro da liberdade e da felicidade...
Bata as asas em direção ao teu ninho, tenha só o céu como limite e viva como Deus te criou e um dia planejou...


Paz e Luz!


(autoria desconhecida)

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Sociopata e psicopata - Mulher


As mulheres e a psicopatia. 



As psicopatas com um nível moderado a grave de psicopatia podem, no início da adolescência, ter um acentuado crescimento dos sintomas do distúrbio nessa fase, além de sintomas como um humor deprimido e irritadiço, abusar do álcool e/ou drogas, obter comportamentos autodestrutivos como auto mutilação, tentativas de suicídio fracassadas, abusos de medicamentos, ambiente familiar conturbado, instabilidade emocional e, não raro, aparecimento de sintomas histéricos (conversivos). Aliás, é muito mais frequente nas mulheres psicopatas ocorrer a psicopatia juntamente com características conversivas, como por exemplo, paralisias, dores de cabeça constantes, náuseas, vômitos, afonia, dores constantes pelo corpo sem motivos plausíveis etc. o que mostra que essas mulheres além da psicopatia, possuem traços histéricos em sua personalidade, o que as faz reprimir seus problemas psicológicos e transformando-os em problema físico.

Na melhor das hipóteses, as mulheres psicopatas geralmente foram crianças introvertidas e tinham um profundo sentimento de isolamento. Embora não seja regra, a maioria das mulheres psicopatas possuem um histórico cuja infância foi permeada por algum tipo de conflito familiar (abusos, negligência, divórcio dos pais, alcoolismo parental, etc.), além de constantes conturbações escolares, tal como deboches por coleguinhas de escola, seja pela timidez ou por apresentarem algum tipo de transtorno de conduta: ao tempo que foram crianças que sofriam deboches, entretanto, também cometiam algum tipo de crueldade - embora nem sempre os adultos conseguissem perceber, pois, via de regra, psicopatas desde tenra idade manipulam todos ao redor de forma que raramente são descobertos.

Mulheres psicopatas não gostam de ser contrariadas e, assim como os homens sociopatas, elas podem demonstrar frieza, agressividade ou insensibilidade sem que isso acarrete em culpa, arrependimento ou remorso. Elas têm necessidade em demonstrar grande poder, destaque social, ou controle sob certas pessoas ou situações. São controladoras, persuasivas, influenciadoras e muito sedutoras. Elas podem exibir além de um comportamento sedutor, comportamentos sexuais perversos, tais como sadomasoquismo, e outros fetiches perversos. Normalmente tem um histórico de relacionamentos breves, que duram muito pouco, numerosos casos superficiais ou então mantém vários casos com relativa longevidade ao mesmo tempo. Elas são mulheres infiéis, que facilmente traem o cônjuge diante de oportunidades que possam atender seus interesses.

É muito comum estabelecerem relacionamentos estáveis apenas por puro interesse material, tais como homens que lhes proporcionem algum nível de infraestrutura sócio-economica que possa servir aos seus objetivos particulares. Para a psicopata, o sexo, a sedução e a orientação sexual são apenas mais uma moeda de troca como forma de manipulação, um de seus melhores utensílios para atingir seus desejos, pois obtém prazer de todas as maneiras que lhe convém.
Nas mulheres com traços psicopáticos, parece haver predominância de sintomas do subtipo de psicopatia denominado por Millon de "psicopata dissimulado". Segundo Millon, tais psicopatas possuem características de falta de confiança nos outros, impulsividade, simpatia superficial e sociabilidade para com os outros mas constante mau humor, agressividade e ressentimento para com a família e pessoas próximas.

Esse tipo de psicopatia pode ser relativamente parecido como uma mistura do transtorno de personalidade borderline e o transtorno de personalidade histriônica. São pessoas que aparentam tendências a chamar atenção para si e com um comportamento significantemente sedutor ou sensual. Neste caso, essas psicopatas são socialmente sedutoras mas ocultam por trás da sedução e sociabilidade um péssimo comportamento com pessoas mais próximas. A busca pela excitação, aventura e estímulo é variavelmente alto, com tendências a sentir-se facilmente entediada, com grande intolerância à monotonia, regras e rotina. Exatamente por isso, essas pessoas costumam exibir entusiasmo de curta duração pelas coisas da vida, tais como relacionamentos, empregos, objetivos e gostos. Elas se entediam e enjoam facilmente das coisas, começam um projeto mas nunca terminam. Pessoas assim têm comportamentos imaturos de contínua busca de sensações e perigo, e fazem de tudo o que for necessário nas suas relações para conseguirem o que querem dos outros. São incapazes de demonstrar gratidão e quando fazem serve apenas como meio para evitar julgamentos sociais.

Quando não conseguem o que querem ou são contrariadas ou pressionadas, podem balancear entre uma explosão agressiva ou uma vingança calculista.

De modo geral, as mulheres psicopatas apresentam praticamente os mesmos sintomas do homem psicopata, entretanto, praticam suas crueldades de forma menos impulsiva que o homem, o que faz com que raramente sejam descobertas. 




Sociopata e psicopata - homem


O que é um Sociopata:

Sociopata é uma palavra usada para descrever uma pessoa que sofre de sociopatia, uma psicopatologia que provoca um comportamento impulsivohostil e antissocialSociopatia é classificada como um transtorno de personalidade que é caracterizado por um egocentrismo exacerbado, que leva a uma desconsideração em relação aos sentimentos e opiniões dos outros.Um sociopata não tem apego aos valores morais e é capaz de simular sentimentos, para conseguir manipular outras pessoas. Além disso, a sua incapacidade de controlar as suas emoções negativas torna muito difícil estabelecer um relacionamento estável com outras pessoas. A sociopatia não tem cura, no entanto, os seus efeitos podem ser mitigados através da psicoterapia e da prescrição de medicamentos. A expressão sociopata funcional indica uma pessoa que apesar de sofrer de uma sociopatia, tem essa situação sob controle, ou seja, os efeitos da sociopatia não afetam muito a sua interação com outras pessoas. 
Diferença entre sociopata e psicopata 
Segundo o Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, tanto a psicopatia como a sociopatia são considerados como transtornos antissociais, e têm muitas características semelhantes, o que explica o fato de muitas vezes serem vistos como sinônimos.Há muitos traços em comum, como a desconsideração por leis, normas sociais e direitos de outras pessoas; falta de sentimento de culpa e comportamento violento.Uma das principais diferenças é que frequentemente os psicopatas são pessoas encantadoras e populares, que muitas vezes exercem cargos de liderança e que conseguem atrair pessoas para elas próprias. Um sociopata não é muito bom em contextos sociais, sendo muitas vezes classificado como uma pessoa antissocial. Apesar disso, o sociopata é capaz de fingir ou forçar sentimentos, parecendo estar à vontade ou contente quando na realidade não está. Por outro lado, o psicopata muitas vezes se sente confortável em grupos, vendo essa situação como uma oportunidade para manipular os outros para o seu próprio benefício. ( fonte: http://saude.umcomo.com.br/) 

A mídia exibe casos terríveis de crimes passionais todos os dias e uns ganham mais holofotes como o caso Elisa Samudio, Mércia Nakashima e outros.
É importante ressaltar o perfil do inimigo, pois muitas mulheres são mortas por não conseguirem detectar nenhum perigo à sua volta. Quando percebem que algo está errado, fazem BO, mas nada acontece, isso porque temos uma lei que não é aplicada de forma correta e devida (*Maria da Penha).
Esses inimigos que as mulheres acolhem, mimam e desejam em suas vidas, muitas vezes são psicopatas; termo usado pela psiquiatria para descrever o indivíduo frio, sem sentimento amoroso pelo próximo, com ausência total de culpa, remorso ou solidariedade.
É de extrema importância ressaltar que o **psicopata não é doente, ele é um indivíduo frio e sádico, extremamente lúcido e sabe exatamente como agir com suas vítimas.
A maioria deles não irá matar, mas aplicará golpes financeiros em suas parceiras e buscarão uma próxima vítima. Escolhem suas vítimas pela vulnerabilidade, principalmente mulheres carentes, frágeis de atenção e com autoestima baixa. Detectando a vítima, ele vai ao ataque.   


Descrita pela primeira vez em 1941 pelo psiquiatra americano Hervey M. Cleckley, do Medical College da Geórgia, a psicopatia consiste num conjunto de comportamentos e traços de personalidade específicos. Encantadores à primeira vista, essas pessoas geralmente causam boa impressão e são tidas como “normais” pelos que as conhecem superficialmente.
No entanto, costumam ser egocêntricas, desonestas e indignas de confiança. Com frequência adotam comportamentos irresponsáveis sem razão aparente, exceto pelo fato de se divertirem com o sofrimento alheio. Os psicopatas não sentem culpa. Nos relacionamentos amorosos são insensíveis e detestam compromisso. Sempre têm desculpas para seus descuidos, em geral culpando outras pessoas. Raramente aprendem com seus erros ou conseguem frear impulsos.

*Lei nº 11.340
Art. 1o Esta Lei cria mecanismos para coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher
Autor: Taty Ades (autora do livro homens que amam demais) 





segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Recomeçar é preciso...


❝... Não sei dizer se a vida nos cansa ou se nós é que nos sentimos fadigados às vezes da existência. Nos repetimos sempre. Ou quase. E nos lamentamos desse dia-a-dia onde nos levantamos, trabalhamos, regressamos e descansamos para no dia seguinte recomeçarmos.

Mas é essa a vida e muitos não aceitariam mudança nenhuma se a oportunidade lhes fosse oferta. Ter que recomeçar alguma coisa abala muita gente, pois mesmo a vida corriqueira e imutável causa segurança. Conhece-se os caminhos, os atalhos, os desvios, as curvas a serem evitadas.

A consciência de ter que recomeçar é que nos faz sofrer, duvidar, temer. Medimos nossa capacidade e com bastante frequência... nossa incapacidade! Se não medirmos nada, avançaremos como as crianças avançam nos primeiros passos, titubeantes, mas orgulhosos.

A mente humana é um poderoso instrumento. Ela condiciona, impõe, impede, impele, comanda... mas nem sempre no bom sentido. Ela sente, ressente, guarda as impressões e as marcas que a vida vai fazendo ao longo dos anos. E se pensamos em recomeçar alguma coisa, ela acende a luz vermelha em sinal de atenção. Assim é que muitos paralisam-se e não fazem nada. Acomodam-se.

Porém, a vida nos impõe recomeços a cada instante e os seguimos com naturalidade, fazemos nossa parte. Somos condicionados e nem nos questionamos.

Me pergunto então por que não nos condicionamos a viver coisas novas, experimentar nem que seja por uma vez ousar. Se é nossa mente que nos comanda e que somos donos de nós, por que não pegarmos as rédeas, o comando?

A vida desabrocha por todos os cantos e precisamos vivê-la. Mas bem vivê-la. Deus nos criou para sermos felizes, não para passarmos os dias perdidos em lamentos sem tomar atitudes.

Avança!

Recomeçar é preciso quando o que temos já não nos satisfaz. E recomeçar é sempre possível quando colocamos de lado as dúvidas, pois perdedor na vida não é quem tentou e não conseguiu, mas sim aquele que abandonou a coragem e perdeu a fé...❞


Autoria: Letícia Thompson