Bem vindos!

Bem vindos!

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

O cachorro segundo o Espiritismo


Como podemos contribuir com a evolução dos cachorros?

Animais e o Espiritismo: Independentemente de filosofia, quem ama verdadeiramente um amigo (humano ou não) já auxilia sua evolução espiritual. Podemos lembrar de vários casos de cães que foram maltratados uma vida inteira por seus donos, o que os levaram a eliminação (eutanásia), por serem considerados perigosos demais para o ser humano. Estes seres tiveram, de alguma maneira, sua evolução marcada pela dor e sofrimento, o que pode provocar um atraso na retomada de sua evolução espiritual na mesma encarnação ou em outras. Emmanuel (psicografado pelo querido Chico Xavier) escreveu: “Nós, seres humanos, estamos na natureza para auxiliar o progresso dos animais. Na mesma proporção que os anjos estão para nos auxiliar. Portanto, quem maltrata um animal é alguém que não aprendeu a amar.” O fator principal para a evolução de qualquer ser é o amor.


 A ALMA DOS ANIMAIS - REENCARNAÇÃO
                       Conheça os princípios da reencarnação dos bichinhos.
Quem tem um animal de estimação sabe a importância que ele adquire no convívio  familiar. Desde os mais tradicionais, como gatos e cachorros, até os mais exóticos ou selvagens, todos têm seu espaço junto ao criador.
Segundo a doutrina espírita, a reencarnação é uma bênção de Deus aos seus filhos, ou seja, todos os seres vivos sem distinção, para que evoluam e atinjam a perfeição. Sendo assim, o que acontece com os animais após o desencarne?
A DIVISÃO DA NATUREZA
Em sua publicação "O Livros dos Espíritos", Allan Kardec dedica um capítulo inteiro sobre a divisão da natureza em reinos: mineral, vegetal e animal. De acordo com o autor, a divisão, sob o ponto de vista moral,  não deve ser estabelecida em três níveis, mas sim em quatro. Os grupos estão divididos em: minerais, compostos de matéria sem vida; plantas, que são dotadas de vitalidade e animais, possuidores de força vital e inteligência instintiva limitada, que os torna conscientes de sua existência e de sua individualidade. O homem seria responsável pelo quarto grau e por reunir características dos animais, das plantas e dominar as outras classes graças à sua inteligência que, segundo Kardec, "lhe dá a consciência do seu futuro, a perfeição das coisas  extramateriais e o conhecimento de Deus".
A PARTICULARIDADE DOS ANIMAIS
De acordo com a definição dos grupos acima, proposta pela doutrina Kardecista, verifica-se que os animais, além de agirem por seus instintos, também demonstran-se livres  em determinadas ações. A liberdade de ação que possuem, ainda que limitada, evidencia a presença de um espírito, que sobrevive à  morte do corpo e, como todo ser vivo, reencarna para atingir um novo estágio de evolução. No entanto, a alma animal não pode ser comparada à humana, pois apesar de preservar sua individualidade após a morte, ela não conserva a consciência. Essa é a principal distinção entre os seres humanos e os bichos.
Depois de desligar-se do corpo, a alma animal, tão logo que desencarna é classificada por outros espíritos para reencarnar quase que imediatamente. Ela não possui livre-arbítrio para escolher em qual espécie quer reencarnar e também segue uma lei progressiva de evolução, porém, involuntária e definida por forças exteriores. Vibrações do amor e carinho são sentidas pelo animal tanto em vida quanto no momento da morte. Por isso, é muito importante cuidar bem do seu bichinho de estimação.
.
Revista Vidas Passadas.
Obs.: Desconhecemos o autor da foto acima, por gentileza, qualquer inconveniente, avise-me!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Bem vindos! Obrigada pela participação!!! Afagos na alma!