Bem vindos!

Bem vindos!

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Vamos falar de paz

Vamos falar de paz

PAZ... Palavra tão pequena... Significado tão grande...
Representa o bem estar entre as pessoas. E alguém pode desejar coisa melhor do que estar em paz com seus semelhantes?
Sem dúvida alguma, é o desejo maior de qualquer pessoa de bons sentimentos. Mesmo que os sentimentos não sejam tão bons assim, mas haja um resquício de bondade... sempre irá preferir a paz.
Recebi de minha amiga Fátima Irene Pinto, uma mensagem muito linda, que fala justamente dessa paz tão desejada, e tão vilipendiada. Penso que se essa mensagem for devidamente assimilada por todos, poderemos vislumbrar alguma possibilidade de encontrar essa paz. Vejam:
"A paz se exterioriza nos olhos de quem aprendeu a arte de ser sincero consigo mesmo.
Paz é, acima de tudo, harmonia consigo mesmo; em seguida com os outros.
É harmonia com Deus e com a Natureza.
Paradoxo é almejar a paz e viver em discordância íntima.
A verdade é que, por mais que você se esforce para ser justo e consciente, sempre haverá alguém que interpretará mal seus atos e atitudes.
Ninguém consegue agradar a todos.
Confie em si mesmo, confie em Deus.
Apenas Ele maneja os fios invisíveis e infinitos de toda existência humana.
Você encontrará a paz conscientizando-se de que cada um é uma ferramenta exclusiva e específica da Natureza, circunstancialmente trabalhando na Terra sob o Comando Divino."
(Lourdes Catherine/Soc. Espírita Boa Nova)
Nesta época do ano, em que tanto se fala em Paz e Amor, creio ser uma excelente ocasião para uma reflexão profunda, com o intuito de descobrir onde estamos falhando, pois a Paz não vem sendo encontrada.
Não falo apenas da Paz Mundial, que depende de muitos fatores para ser conseguida e, face às circunstâncias, e à própria natureza humana, é totalmente utópico falar-se nisso.
Falo em nossa paz interior. Essa depende apenas de nós mesmos.
Por que ficar remoendo mágoas contra outras pessoas? Se alguém nos ofendeu, traiu ou magoou, cabe apenas duas atitudes. Ou procuramos esquecer do problema (mesmo que isso represente nos esquecermos da pessoa), ou relevamos e perdoamos. Não resolve procurar alguma vingança, alguma represália, um meio de prejudicar essa pessoa. Isso não irá amenizar nossa dor e nem solucionar o problema. Pelo contrário, irá acirrar mais ainda os ânimos.
Procurando esquecer o que houve, só iremos ganhar em tranquilidade e paz de espirito. Pelo menos nossa alma não ficará envenenada pelo ódio, pelo rancor.
Nem sempre é possível perdoar quem nos ofendeu, por ter sido algo muito sério... esqueçamo-nos então, tanto do fato, como da pessoa.
Essa é uma das maneiras para se encontrar a paz interior, tão necessária para que possamos sentir alegria em viver.
Podem ter certeza de que a melhor coisa que podemos sentir é a sensação de estarmos em paz conosco mesmo, e isso só se consegue, sem ter sentimentos de ódio ou rancor no coração.

Marcial Armando Salaverry





















quinta-feira, 19 de março de 2015

Denuncie! Não a violência doméstica

Violência doméstica não tem classe social. A violência pode acontecer bem perto de nós. E então, o que fazer? Pode até parecer clichê, mas é a única resposta: DENUNCIE!! Não deixe que VOCÊ seja vítima desse crime.

AFASTE-SE DE PESSOAS QUE LHE FAZEM SENTIR-SE MAL


De fato estamos cercados de pessoas tóxicas.
Pessoas que são egocêntricas, manipuladoras, interesseiras, arrogantes, rancorosas, amarguradas, mal amadas, invejosas ou fracassadas, que não conseguem ver o sucesso ou a felicidade alheia. Enfim, pessoas sombrias que minam os relacionamentos e amizades com intrigas, críticas excessivas, falta de consideração e respeito pelo outro e abusos verbais ou físicos. Pessoas muito perigosas de se conviver.
Essas pessoas tóxicas acabam, de alguma forma, nos envenenando. Direta ou indiretamente, acabamos agindo por influência delas, seja com atitudes ou omissões. Muitas vezes acabamos agindo por impulso para evitar essas pessoas, ou, na pior das hipóteses, acabamos agindo da mesma forma. São pessoas nocivas, intoxicando nosso comportamento e nos levando a agir e a tomar decisões que, em outras circunstâncias poderiam ser completamente diferentes.
São tóxicas, porque conseguem despertar o que há de pior dentro de nós, não apenas no sentido de maldade ou crueldade, mas no sentido de perdermos a identidade, a autonomia, a energia, a iniciativa e o poder de decisão. Ficamos estagnados, hipnotizados, paralisados. São verdadeiros vampiros, sem Luz própria, que consomem nossa energia vital, que exploram e manipulam pessoas de acordo com os seus interesses e vivem às custas da energia dos outros para se sustentarem.
Tóxicas são aquelas pessoas que sabem tudo a respeito da vida das outras pessoas, mas não conseguem administrar a própria vida. Sabem dar conselhos como ninguém tem um discurso lindíssimo para o mundo lá fora, mas que, na vida pessoal, nos bastidores, na vida íntima, são pessoas frustradas, isoladas, verdadeiras ilhas no meio da sociedade, que não tomam para si os próprios conselhos.
Sabem olhar de fora, apontar defeitos, problemas, erros. Mas não sabem participar, não conseguem enxergar os próprios problemas ou defeitos. Apontam os erros alheios para, de certa forma, esconder os seus próprios. São os “sabe-tudo” e só a sua forma de pensar é que está certa. Não suportam ser contrariados e confrontados. Quando o são, perseguem a pessoa até “livrarem-se” dela ou então se vingam. Seu ego é superlativo para compensar a sua extrema falta de Amor-Próprio. Usam as pessoas conforme seus interesses e, quando estas discordam de suas ideias, são descartadas e eliminadas, sem a menor consideração.
A toxicidade reside exatamente no fato de não nos darmos conta de que estamos sendo manipulados ou influenciados. Ficamos hipnotizados, fascinados, imersos numa imensa ilusão, até o dia em que despertamos e tomamos consciência de que estamos muito mal, morrendo por dentro, e que algo urgente necessita ser feito. Um corte para a nossa libertação, para resgatar a nossa sanidade, saúde, alegria de viver.
Em nossa busca pela felicidade, por tudo aquilo que nos traz bem-estar e alegria, o grande segredo é não se deixar influenciar, se afastar e evitar a convivência com esses tipos. Isso não significa alimentar sentimentos negativos dentro de si com relação a eles, mas de preferência visualizá-los felizes e agradecidos em sua vida, emanando energias e vibrações positivas.
Reflita, você convive intimamente com alguma pessoa tóxica, seja na família, no trabalho, ou nas “amizades”?
Tenha cuidado, afaste-se, fique longe o quanto antes dessas pessoas.
Cuide-se, preserve-se, seja você mesmo, seja pleno e feliz.
E acima de tudo sempre perdoe essas pessoas, muitas vezes, elas não tem consciência de seus próprios malefícios.


Texto retirado do site:  http://universonatural.wordpress.com/2013/05/24/voce-convive-intimamente-com-alguma-pessoa-toxica/


Leia também o tópico: Pessoas insuportáveis e pessoas insuperáveis

Este tópico é bem legal para a gente aprender a lidar com pessoas que nos enfraquece:  Aceitação